quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

MUDAM AS PRIORIDADES E SEGUIMOS AO NOSSO RITMO

Ser mãe, ou pai, é uma grande mudança na vida. Muda muita coisa, mas o que tem obrigatoriamente de mudar são as prioridades. Pelo menos eu vejo as coisas assim.

As minhas prioridades mudaram muito logo que engravidei, mas depois que o bebé nasceu ainda foi mais notório, e a cada dia que passa vou priorizando cada vez mais o Gonçalo.

Dito isto, muita coisa na minha rotina domestica mudou, ou tem vindo a mudar. Uma casa com uma criança é uma casa cheia de vida. Só não é, se a criança passar tão pouco tempo em casa, que mais parece que não vive lá. O que não é o nosso caso.

Neste momento temos a mala do Gonçalo sempre na entrada, o carrinho num sitio, o ovo noutro, a aranha no meio do corredor, a cadeirinha no meio da cozinha, um cestinho com brinquedos na cozinha, um cesto com mais brinquedos na sala, livros espalhados pela casa, cosméticos na sala e no quarto, roupa aqui e ali... E sabia muito bem que ia ser assim, e também é assim que quero.

Portanto, neste momento a minha casa está limpa mas um pouquinho desarrumada. Nada de grave, mas há sempre uma desarrumaçãozita.

E se antes eu gostava de ir dormir com a casa em ordem, hoje em dia eu só quero ir dormir, não penso muito na casa.

Depois de jantar cai em mim um sono tão grande, que manter-me acordada para lavar loiça e limpar isto ou aquilo é simplesmente tortura. Eu tentei. Tentei continuar a fazer as coisas como antes, mas cheguei à conclusão que o esforço não valia a pena. Por um lado porque era realmente um grande esforço, e custava-me imenso fazer as coisas simples, depois porque fazia tudo à pressa e aldrabado e por fim, não aproveitava o tempo que o Gonçalo estava acordado entre o jantar e a hora de dormir, para estar com ele.  E isto é prioridade.

Assim, depois de jantar coloco a loiça no lava loiça (que também não costuma ser muita porque vou lavando enquanto cozinho), limpo a mesa e as cadeiras e varro o chão ( porque está tudo cheio de miolos de pão 😊) e vou aproveitar esse bocadinho em família. Depois começamos a rotina do sono e por volta das 21: 30 eu e o Gonçalo estamos a dormir.

No dia seguinte a loiça continua à minha espera e durante a sesta do Gonçalo eu trato dela e de mais 500 coisas. Aí já tenho energia, já estou disposta a enfrentar o dia e não me ando a arrastar. Hoje por exemplo, o Gonçalo acordou às 6 da manhã. Às 7 quando adormeceu eu lavei a loiça. Se o tivesse feito ontem à noite, e as outras tarefas que costumava fazer à noite, deitava-me por volta da meia noite e hoje às 6 tinha de tirar o rabo da cama. E depois onde é que ia buscar energia? Não ia...

Uma vez comentei isto com uma colega minha e, como sempre as mulheres são muito solidárias e empáticas umas com as outras, ela disse-me que era incapaz de fazer isso (como se fossemos apanhar uma doença ou coisa do género) e eu respondi-lhe: "olha eu sou incapaz é de lavar loiça a dormir..."

Acredito que vá voltar aos hábitos antigos, quando o meu reguila for maior, mas por agora vou respeitar o meu ritmo biológico e dormir na altura certa. No dia seguinte terei tudo como deixei, portanto mais vale dormir! 😉
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

A BELA PAPA DE AVEIA


Com o friozinho que está só apetece comidinha quente e reconfortante. Neste últimos dias voltei às papas de aveia. Há algum tempo que não comia e tem-me sabido pela vida.

Para além de ficar quentinha, fico também sem fome e sem vontade de andar a petiscar até ao jantar (por norma como ao lanche), o que também é vantajoso.

Mas sempre que comento com alguém o meu fascínio pelas papas de aveia, recebo um torcer de nariz. A maioria das pessoas não gosta porque não tem sabor... ou será porque não sabe fazer?!

Eu preparo assim:

Coloco num tachinho uma chávena de leite. Gosto com qualquer leite, mas ultimamente tenho feito com leite de arroz por ser leve. Há quem faça com água, nunca experimentei, por isso não sei se gosto! No leite coloco um pouco de casca de laranja, de casca de limão e um pau de canela, aqui começa o sabor a surgir. Acrescento duas colheres de sopa de aveia (moída, mas pode ser em grão) e vai para o lume. À medida que o leite vai aquecendo a papa começa a engrossar. Sempre mexendo, desligo o fogão quando fica na textura que gosto. Há quem prefira mais grossa, é só deixar mais tempo no lume. No fim, retiro as cascas, o pau de canela e acrescento canela em pó, numa quantidade simpática porque gosto muito de canela. Há dias em que acrescento fruta fresca e/ou frutos secos, há outros dias que como só assim. Depende da fome!

Só sei que é bom, tem muita fibra, não tem açúcar (ah, também há quem acrescente mel, pessoalmente não acho necessário mas é um boa dica) é baratinho, pois um pacote de aveia nem chega a 2 euros e dura e dura e dura... Os bebés também podem comer, desde que seja com o leite apropriado e de preferência com a fruta passada para adoçar e sem canela, ou com muito pouca. Mas isto é sempre bom perguntarem ao pediatra. A nossa gosta e o Gonçalo também gosta, porque comidinha é coisa a que ele não torce o nariz! ;)

E vocês, gostam de papa de aveia ou também lhe torcem o nariz?


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

ESPELHO MEU, ESPELHO MEU, HÁ ALGUÉM MAIS CONFUSO DO QUE EU?

Caso acompanhem o blog, certamente leram que uma das minhas resoluções para este ano era cuidar mais de mim. E dentro desse objetivo, está o look, o aspeto, a roupa, o que vestir, etc.

Durante a gravidez, as coisas correram bem. Não havia muito a fazer, vestia calças de gravida com blusas largas e alguns acessórios. Senti-me muito bem gravida, não engordei muito, a roupa caía bem e, à exceção do cabelo branco a determinada altura, acho que fui uma grávida gira! :)

O Gonçalo nasceu e ao fim de duas semanas já vestia muita da minha roupa. E na altura até tinha piada porque parecia tudo novidade, já que não vestia muitas peças há muito tempo. Mas o verão foi praticamente passado em casa, ou pouco mais. Não fui à praia, não fomos de férias, a rotina foi mesmo muito rotineira e aí comecei a sentir que nada do que tinha para vestir me enchia as medidas.

Chegou o outono, estação que adoro, e o regresso definitivo ao trabalho. Aí parece que houve realmente uma lufada de ar fresco e havia muita roupa que não vestia há 2 anos, mais as peças que comprei na gravidez que eram perfeitamente usáveis agora, tudo parecia mais animador. Só que não.

A sensação que tenho é que já não me identifico com a maioria da roupa que tenho. Mas o pior é que não sei com o que ficaria mais satisfeita neste momento. Ainda ontem, por exemplo, fui dar uma voltinha ao centro comercial. Vi peças que me agradaram, mesmo algumas coisas ainda em saldos, mas parece-me sempre mais do mesmo. Acabei por não comprar nada, e pensei que tinha de voltar sozinha para ter tempo de experimentar e decidir calmamente. Mas quando saí do shopping pensei: "Que se lixe... vou comprar mais camisolas cinzentas, ou pretas, ou cremes, ou de riscas??? Na primavera logo invisto em coisas novas!"

A dificuldade está mesmo em pensar que estilo é que gostava de ter neste momento. Eu gosto do que tenho, sinto-me confortável, são peças quentes e fáceis de conjugar entre si, estou confortável a trabalhar sentada o dia todo... então qual é o problema?!?!?!

Para me ajudar, fiz uma pesquisa de looks que gosto, aquelas fotos que olhamos e inspiram-nos de alguma forma, sabem? A grande maioria são looks com roupa idêntica à que tenho, muitos desses looks podiam ser reproduzidos por mim diariamente, mas falta qualquer coisa... que ainda não descobri o quê. Por isso é que resolvi deixar as compras para a primavera!

Deixo-vos então alguns dos looks que mais gosto!

Gosto muito de coisas básicas, skinny jeans, camisolas e casacos de malha quentinhos, lenços de xadrez, botas e botins neutros, calções e, ténis brancos (também gosto de cor, mas de momento prefiro brancos).

















Vou tentar melhorar o meu estado de espírito neste assunto, perceber qual é afinal o meu problema. Talvez o problema seja a pressa... Não sei, alguém tem ideias? Já vos aconteceu algo do género?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

A PRIMEIRA CONSTIPAÇÃO

E algumas semanas depois de deixar de mamar, o baby Gonçalo ficou constipado.

Não sei se foi coincidência ou não, mas dos relatos que ouço, é comum os bebés ficarem doentinhos pouco tempo depois de deixarem de mamar.

Foi uma semana difícil e até tivemos de fazer uma visita às urgências com o Gonçalo, que se engasgava com a expectoração e tinha dificuldade em respirar. Um grande susto...

Depois de muitas aspirações nasais, aerossóis, aguinha, sumo de laranja e soro fisiológico, o bebé está bem melhor. E eu fiquei com muita coisa em atraso, mas estou quase de volta aos posts. 😉
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

PRIMEIRO LIVRO DO ANO

Parece que estou decidida a cumprir as minhas resoluções para 2018. E são muitas, acreditem! Por isso tenho mesmo de meter mãos à obra já de inicio, para não chegar ao fim do ano com tudo só no papel.

E o primeiro livro do ano está lido. E isto significa muito para mim, já que nos últimos tempos li pouco, o que me deixa triste. Como não quero ser daquelas pessoas que só se queixa das coisas que deixou de fazer por causa dos filhos, propus-me a ler no mínimo 6 livros este ano. Entretanto, já aumentei a fasquia e propus-me a um livro, pelo menos, por mês!

Tenho gostado de ler sobre felicidade e sobre formas de simplificar a vida, por isso escolhi ler sobre lagom. Lagom é, de forma muito simples, o nome que os suecos dão ao equilibrio, ao nem muito nem pouco, ou ao na quantidade certa.
E aplicam este conceito a todos os pontos das suas vidas.


O livro está dividido em várias partes onde podemos aplicar este conceito, por exemplo no equilíbrio entre trabalho e vida privada, na comida, na decoração, na moda, no ambiente... para além de explicar como aplicam os suecos o lagom, temos também dicas para o conseguirmos fazer.

Gostei particularmente destes capítulos":

-  Tempo para mim - a criatividade e a importância do tempo livre.

- Dicas da estilista - chique confortável, reutilização e uma abordagem
corajosa ao lagom - Aqui adorei a dica "seja corajoso e atreva-se a fazer combinações feias."

- Adoção da mentalidade funcional - um guarda roupa prático e compras racionais.

- Uma casa lagom - os pensamentos de uma decoradora de interiores sobre uma casa feliz e sustentável.

- Glossário ecológico - termos suecos para um estilo de vida ecológico lagom - por exemplo köpstopp significa "(...) decidir não comprar absolutamente nada por um determinado período de tempo. É um reconhecimento de que, muitas vezes, não precisamos realmente das coisas que compramos. (...) Além de poupar dinheiro e ser gentil com o meio ambiente, traz muitas vezes uma sensação de liberdade do estilo de vida do consumismo moderno."

- O testemunho de uma guerreira ecológica - ecologia, hábitos mais sustentáveis e acrescentar alma à sua casa. - Dicas como "Use e ajuste o que tem", "Compre em segunda mão" são formas de poupar dinheiro, de ser criativo e de reutilizar.

- Pense antes de comprar - dicas para hábitos de consumo sustentáveis.

- Liberdade e flexibilidade - os benefícios de uma atitude moderada face a bens materiais.

- Daqui ao lagom - Reflexões e tarefas para levar consigo.


Há outros livros que falam sobre lagom, e confesso que quando comprei este, fiquei muuuuito indecisa, pois todos me pareciam bons. Escolhi este porque gostei mais da textura do papel... enfim, não sei se o outro era melhor, mas fiquei satisfeita com a escolha.


Alguém leu?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 6 de janeiro de 2018

MISSÃO (QUASE) IMPOSSIVEL - UNHAS BONITAS

O objetivo é dar-me um pouquinho mais de atenção em vários aspetos. Comecemos então pelas unhas. Pode parecer fútil, mas não há como fugir, olhar para as mãos e ver as unhas feias, não é propriamente animador. E eu sempre gostei de cuidar das minhas unhas, daí ter posto de parte (pelo menos para já) as unhas de gel. É um habito muito antigo, que me tranquiliza, sabe-me bem, portanto ainda faz mais sentido para mim mantê-lo ou melhor, recupera-lo.

Se pretendo cuidar das unhas em casa, tenho de ter material para isso. E não há forma de fazer uma boa manicure, se tiver material velho e fora de prazo.

Comecei assim por destralhar. Foram-se os vernizes velhos, que estavam muito espessos e que só dificultavam a tarefa de pintar e secar convenientemene, as bases e top coats praticamente secos e os óleos secantes, que faziam tudo menos secar.

Vernizes que foram para o lixo

Ficaram apenas os vernizes recentes, ou que usei uma ou duas vezes e que por isso foram poucas vezes abertos, o que aumenta a durabilidade.

Vernizes que ficaram

Depois foi altura de adquirir novos produtos. Na Kiko comprei 3 vernizes e escolhi cores que gosto muito. Um nude, um vermelho e um castanho escuro perfeito para o inverno. Os outros acho giros para qualquer altura do ano. Na yves rocher, comprei uma base antiquebra (que seca muito rápido, tal como gosto), um fluído secante e uma lima de 4 faces, para polir e dar brilho às unhas.

Novas aquisições 

Agora falta pintar as unhas, para já tenho usado só a base. Num outro post, posso partilhar como faço a manicure, quais os truques para durar alguns dias e mostrar o resultado final.

E vocês, gostam de arranjar as unhas em casa, ou preferem ir a uma especialista?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

MISSÃO (QUASE) IMPOSSÍVEL - CUIDAR MAIS DE MIM

Antes de mais, quero desejar-vos um excelente 2018!

2017 foi um grande ano, muitas mudanças e pouca escrita aqui no blogue. Acreditem que tenho saudades de escrever mais, mas os dias são muito corridos e muitas vezes a inspiração também não ajuda. Este ano espero ser mais regular!

Mas, se leram o último post, sabem que me tenho sentido em segundo plano. Tudo porque coloco tudo como prioridade e eu vou ficando para trás. Isto é comum entre mulheres e parece que depois de serem mães a coisa piora!

Pessoalmente sinto mesmo falta de me cuidar mais, de me dar mais atenção, de olhar para o espelho e sentir-me bem, de sentir-me eu, como ser individual e não ser "só" a mãe, tia, esposa, explicadora, arquiteta, dona de casa, gestora, organizadora, cozinheira... É muita coisa... preciso mesmo de ter o meu tempo!

Assim, coloquei entre as minhas resoluções para 2018, cuidar mais de mim, ter mais tempo para mim. No post podem ler o que quero fazer para me cuidar mais e por isso vou fazer uma serie de posts onde partilho tudo o que faço nesse sentido. Conseguirei ler mais? Conseguirei ter sempre as unhas arranjadas? Conseguirei praticar exercício de forma consistente? Conseguirei criar novos looks e evitar usar sempre o mesmo? E como vou conseguir fazer tudo isso?

É o que vamos ver nesses posts!
Me aguardem! ;)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...